Desde que se entende por gente, Carlos Araújo pinta. Foi aos 13 anos que, autodidata, deu início às suas criações. Carlos já frequentava a Casa do Artista para comprar materiais, fazer pesquisas e tirar suas dúvidas técnicas. E é o local em que confia até hoje. Há anos que conhece os colaboradores e muitos viraram até grandes amigos. Foi pela pintura a óleo que ele se apaixonou, mas desenhos e litografia fazem parte de seus trabalhos.

A preparação de suas telas leva 3 demãos de branco de titânio, já que utiliza a técnica de velatura, ou seja, camadas e mais camadas que vão se formando. Um quadro para ser finalizado às vezes leva 40 camadas. Por conta disso, nem todas as pinturas de Carlos foram terminadas em seu ateliê.

A visualização do contexto da obra já começa com a preparação do fundo e das camadas de tinta que Carlos costuma fazer. O artista diz que as imagens bíblicas são pintadas com as cores já definidas e o desenho ultima todo o entorno, mas que já está inerente e ali é gravado com uma ponta seca de uma única vez. Para proteger a obra, por último, Carlos passa uma camada de cera de abelha.

De quando começou até hoje, Araújo acha que a qualidade dos materiais melhoraram muito. Os pigmentos já estavam em estado de excelência, porém, o refinamento e sua fabricação têm maior durabilidade. Carlos disse que agora, além de suas pinturas, aprendeu a escanear e a fotografar suas obras, para eternizá-las.

Para os artistas em evolução, ele nos dá algumas dicas:

COMO SER UM ARTISTA? CARLOS ARAÚJO RESPONDE

LIÇÃO 1 – PERSEVERANÇA

“A quantidade de artistas que existe hoje é enorme, então, a sobrevivência se torna cada vez mais difícil. O que deve alimentá-lo é ter recebido o talento de ter se tornado artista, então não deve haver nenhuma dúvida, porque isso é a força que o alimenta. Tenha perseverança.”

LIÇÃO 2 – ESCUTE SEU DOM

Ao artista foi dado um dom de transmitir uma mensagem, que pode ser através da escrita, da escultura, do amor à sua profissão como marceneiro, que seja. Não são todos que recebem esse dom. À medida que você se reconhece como artista, você tem uma responsabilidade muito grande. E você tem que todo dia agradecer por ter tido esse dom e entender que sua profissão é difícil.”

LIÇÃO 3 – NÃO ENALTEÇA O EGO

O artista de forma nenhuma deve enaltecer o ego. A partir daí, são consequências. Troque com outros artistas suas angústias, intenções, esperanças e reafirme o seu valor, independente do reconhecimento. Dentro de todas as profissões, o artista deve levar uma boa mensagem e não no sentido de enaltecer o ego, senão você estará se destruindo”.

*Para saber mais sobre o Carlos Araújo, acompanhe o nosso Projeto #artistahomenageado em parceria com @ACasadoArtista, que tem como objetivo resgatar e valorizar importantes nomes brasileiros contemporâneos da arte e apresentar a sua história. 

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários