Sou daqueles tipos meio preguiçosos para programas em lugares fechados, ainda mais em dias muito quentes. Essa aversão, por um lado, é isenta de culpa no meu eu no que diz respeito a shopping centers e afins (quero mais é distância!), porém, confesso que me bate um remorso danado de não ir com mais frequência ao teatro. Ainda mais em uma cidade como São Paulo, onde a oferta de boas peças é significativa, seja qual for o gosto do freguês…

Pois, justamente, imbuído desse sentimento de frustração, eis que me deparei dia desses com um serviço chamado Cennarium. Já ouviu falar?

Imagine um Netflix só de peças de teatro, apresentações de dança, óperas e afins. É isso! Os espetáculos são gravados pelos organizadores e armazenados no site. Quem tiver interesse na aquisição de alguma peça, basta entrar no portal, fazer o cadastro, escolher o espetáculo que deseja e realizar a compra. O próximo passo é só se aconchegar e apertar o play!

cenna1

cenna2

A iniciativa – 100% brasileira – envolve também um novo modelo de negócio no qual toda vez que uma peça é assistida online, a companhia de teatro é remunerada, assim como os produtores, diretores e atores, gerando mais investimentos no teatro brasileiro.

cenna3

Decerto, é um paliativo. Não há aqui a ambição de substituir a experiência de assistir a um espetáculo in loco. O catálogo também não é ainda dos mais vastos e não conta com títulos de grande expressão. Mesmo assim, a ideia em si me parece fascinante e com grandes chances de êxito – vale dizer que a Samsung acaba de incluir a plataforma no Moony, seu app de vídeos em streaming para Smart Tvs.

Fica a dica 😉

Paulo Moura é jornalista, sócio-diretor da Agência VIRTA e autor do blog Mosca Branca. Além do FTC, também escreve sobre inovação e criatividade para o Hypeness.

Paulo Moura – já escreveu posts no FTCMAG.



Comentários