Como um bom exemplo de inclusão, agora o jogo Uno é acessível para mais 350 milhões de pessoas.

Depois de 46 anos do lançamento original, a Mattel, famosa marca de brinquedos, reeditou a sua versão do jogo Uno. O motivo? Inclusão. A nova edição do Uno foi lançada pensando nas pessoas que são daltônicas.

Com essa mudança, o jogo passou a ser acessível para 350 milhões de pessoas a mais ao redor do mundo. As redefinições foram feitas com a ajuda de símbolos que identificam cada tipo de cor. Trata-se do padrão ColorADD, que funciona como uma espécie de alfabeto das cores, ou seja, um sistema de acessibilidade para pessoas com daltonismo.

O anúncio é muito impactante porque o Uno é o jogo de cartas não colecionáveis mais famoso do mundo e o quarto brinquedo mais popular da indústria. A reformulação das cartas começou depois de uma indagação de um funcionário da empresa.

Eles achavam que o Uno era o jogo mais acessível e universal que existia. E até poderia ser, se não fosse pelo fato de que tem como a base as cores e existem pessoas que não conseguem distinguir certos tons.

O NOVO DESIGN DE UNO

O novo design do jogo demorou cerca de 60 dias para ficar pronto. Ray Alder, diretor sênior dos jogos da Mattel disse que a empresa se preocupou em atender a todos os graus de daltonismo. “Nós não podíamos apenas mudar uma carta vermelha por outro tipo, ou uma carta verde por outra carta, porque ainda assim algumas pessoas não poderiam diferenciá-las”.

O sistema ColorADD combina cada cor com um símbolo e também explica que a junção de cores gera uma outra. Então, por exemplo, a cor amarela é caracterizada pelo traço e a cor azul, por um triângulo. Quando esses dois símbolos se juntam, formam um novo ícone que remete a uma nova cor (verde, no caso).

Uma coisa legal é que os símbolos que ajudam as pessoas com daltonismo foram adicionados no design original das cartas. Assim, o Uno pode ser jogado por pessoas com a deficiência visual e pessoas com a visão normal.

Por enquanto, a versão inclusiva do jogo só está disponível no site da Mattel, em inglês. O motivo é que a empresa diz que a demanda ainda é incerta. Nós temos certeza que o jogo fará sucesso e torcemos para que seja vendido em todas as lojas!

 

Via.

Mariana é jornalista e comunicadora. Adora descobrir novos lugares, explorar a cidade a pé e andar sem pressa. Se interessa por viagem, cultura e tudo o que é novidade. Escreve um blog sobre meio ambiente, sustentabilidade e consumo consciente. Também se dedica a cozinhar, como forma de prazer e arrisca novas receitas no tempo livre.

Mariana – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:
Comentários