Pesquisadores descobriram recentemente que o Pantone 448C é altamente desagradável para a maioria das pessoas, por isso, foi até escolhida para estampar embalagens de cigarros na Austrália para dissuadir os fumantes. Desde então, o tom tem sido chamado como “a cor mais feia do mundo”, mas algumas pessoas discordam.

follow-the-colours-pantone-448c-cor-mais-feia-mundo

Quando a empresa de pesquisa de mercado Gfk foi contratada pelo governo australiano para criar maços de cigarros que precisariam prevenir o tabagismo, os funcionários surgiram com uma solução bem inusitada: a de fazer as embalagens mais desagradáveis possíveis, ao usar uma cor bem peculiar, um “marrom escuro, meio verde“, ou, segundo o catálogo da Pantone, 448C.

Foram três meses de pesquisas para que a agência encontrasse o tom ideal e terrível para satisfazer o governo, que queria combinar a cor com advertências ilustradas nas embalagens. O objetivo era encontrar algo tão repugnante, que faria as pessoas pararem de fumar, ou pelo menos, pensar duas vezes antes de comprar os maços ou continuar o hábito.

A cor foi considerada menos atraente pelos compradores em diversos testes, e desde então tem sido proclamada como a “mais feia do mundo” por blogueiros e designers, sendo comparada a sujeira, apodrecimento, excrementos e outras coisitas más (literalmente).

follow-the-colours-pantone-448c-cor-mais-feia-mundo-cigarros

Este “monótono marrom escuro“, também chamado de “opaque couché,” foi descrito e ligado também a sensação de “morte”, tornando-o ideal para o objetivo da campanha. Outros governos, incluindo o Reino Unido, Irlanda e França adotaram semelhante lei depois que o teste deu certo, incluindo a mesma estratégia.

É claro, a beleza e a feiura está no olho de quem vê. Mas outros estudos anteriores já citavam o marrom como feio, desagradável, que remete a preguiça, burrice, pobreza, algo antiquado. De todas as cores, o tom é o mais frequentemente rejeitado pela maioria das pessoas e o primeiro lugar quando se trata de associações negativas em relação ao corpo.

Se você parar para pensar, o Pantone 448C também pode ser associado com “tons ricos da terra”, e costuma ser bem popular nas estampas de sofás, sapatos, madeiras e outras coisas que podem ser encontrados em uma casa.

Seja como for, toda cor tem seu valor, não?

Via.

Carol T. Moré é editora do Follow the Colours. Cores, internet, design, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Comentários