O que vem à sua mente quando você pensa em Georgia O’Keeffe? Conhecida por suas pinturas com foco em detalhes de flores voluptuosas, a paisagem do Novo México e os arranha-céus de Nova Iorque, Georgia é considerada hoje como a “mãe” do modernismo dos Estados Unidos

Agora, se o seu conhecimento sobre uma das artistas célebres mais famosas se limita apenas aos sucessos da loja de presentes de um museu, saiba que você poderá passear vagarosamente por mais de 1100 obras da coleção digital do Georgia O´Keeffe Museum.

O principal objetivo desta versão beta de suas pinturas digitalizadas é fornecer uma compreensão mais completa da vida e obra da artista icônica, que nasceu em 1887 e morreu em 1986 aos 98 anos. Ver sua evolução é evidente quando você pesquisa por materiais ou data.

Lake George Reflection, Georgia O’Keeffe (circa 1921-22)

O interessante é que também é possível visualizar obras de outros artistas na coleção, incluindo dois homens muito significativos em sua vida, o fotógrafo Alfred Stieglitz e o ceramista Juan Hamilton.

ALFRED STIEGLITZ E JUAN HAMILTON

Alfred Stieglitz, um fotógrafo obsessivo e participante influente em certos círculos da arte de Nova York, se apaixonou pela energia e a confiança dos desenhos de O’Keeffe em 1916, e os exibiu em sua galeria de arte de Manhattan sem que ela soubesse. Dois anos depois, Stieglitz foi apresentado a ela e a convenceu a se mudar para Nova York e se dedicar à pintura. Pouco tempo depois, eles começaram um romance e uma colaboração artística que durariam muitos anos.

A história de Georgia O’Keeffe está ligada à vida de seu marido e parceiro – e de várias maneiras Stieglitz fez pela fotografia o que ela fez pela pintura americana, defendendo-a como uma demonstração de expressão pessoal.

Quando Stieglitz morreu em 1946, Georgia O’Keeffe mudou-se para o Novo México permanentemente para trabalhar em suas pinturas em paz e solidão. No entanto, sua visão começou a falhar a tal ponto que ela mal conseguia enxergar além da tela. Foi então que ela fez amizade com um oleiro local chamado Juan Hamilton, que a ajudou nas tarefas domésticas e em seu trabalho de arte.

A artista americana Georgia O’Keeffe posa ao ar livre ao lado de um cavalete com uma tela de sua série, ‘Pelvis Series Red With Yellow’, Albuquerque, Novo México, 1960. (Tony Vaccaro / Getty Images)

Black Mesa Landscape, New Mexico/ Out Back of Marie’s II, 1930, Georgia O’Keeffe Museum, Santa Fe 

Juntos, eles completaram e publicaram em 1976 um livro sobre sua arte chamado Georgia O’Keeffe, e um projeto de vídeo complementar, onde ela falou sobre seus sentimentos sobre arte. O’Keeffe continuou a desenhar esboços de carvão para si mesma até 1984. Naquele ano, ela se mudou para a casa de Hamilton para ficar mais perto de instalações médicas. Ela morreu em 6 de março de 1986.

Red Canna, 1924

AS OBRAS DE ARTE DE GEORGIA O’KEEFFE – COLEÇÃO DIGITAL

A listagem de cada item é aprimorada com informações sobre inscrições e exposições, além de links para outras obras produzidas no mesmo ano.

O site do museu também criou uma série de programas online e exercícios criativos para todas as idades, inspirados em O’Keeffe, como cursos de desenhos, leituras e workshops relacionados aos temas.

The White Flower, 1932

Visite a coleção on-line do Georgia O’Keeffe Museum aqui. E assista a uma introdução documental a O’Keeffee, narrada por Gene Hackman, abaixo:

Via

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários