Trabalhos de Clare Börsch reúnem diversos elementos como reflexo das experiências de vida da artista

Clare Börsch é uma artista norte-americana radicada em Berlim. Ela é bem conhecida por seu trabalho com papel, com o qual cria enormes instalações feitas com recortes de ilustrações. Ela já foi requisitada por veículos como New York Magazine e Good Company Magazine.

A artista costuma trabalhar com elementos da natureza como flores, plantas e animais, criando mundos encantados onde ela mistura todos eles em lindas obras de arte. Sua criação mais recente, nomeada “The Forest Dark” (algo como a Floresta Negra), pretende explorar o arquétipo da floresta escura e a noção de que a cor preta oculta as coisas.

Assim, ela criou belas composições de recortes coloridos em fundos pretos, brincando com esses dois elementos que parecem tão opostos. Clare traz um novo olhar para a cor preta nessa série de trabalhos, estudando como a escuridão se comporta no mundo, com uma sensação de profundidade e um toque de mágica ao mesmo tempo.

AS INSPIRAÇÕES DE CLARE BÖRSCH

Assim como a colagem é o elemento principal de seu trabalho, a artista diz enxergar sua própria história como uma grande composição. Tendo morado em diversos lugares do mundo, inclusive no Brasil, Clare gosta de pensar que todas essas experiências foram absorvidas por ela e moldaram quem é hoje; uma coletânea de impressões, sentimentos e sensações.

“Para mim, faz sentido que uma borboleta brasileira esteja em uma colagem ao lado de uma flor norte-americana. Na minha cabeça, elas estão intrinsecamente conectadas. A colagem é para mim uma forma de me conectar e dar sentido às minhas experiências e memórias”, diz Clare.

O naturalista e escritor Henry Beston foi uma grande inspiração para essa série de fundos pretos. Ele escrevia que era preciso aprender a reverenciar a noite e deixar de lado o medo dela, pois se ela fosse banida da vida do homem, com ela iria uma atmosfera poética, que traria profundidade à aventura da humanidade.

Cheios de textura e detalhes, os trabalhos de Clare Börsch são, em suas palavras, “ecossistemas alucinógenos”, reflexos de sua interpretação da vida, dessa miscelânea de experiências que nos marcam. A beleza de seu trabalho está em conseguir criar algo belo e harmônico de algo que pode ser muitas vezes caótico e confuso.

Acompanhe mais o trabalho de Clare Börsch por meio de seu site ou Instagram.

Mariana é jornalista e comunicadora. Adora descobrir novos lugares, explorar a cidade a pé e andar sem pressa. Se interessa por viagem, cultura e tudo o que é novidade.

Mariana – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários