A ideia de Thomas Jackson é usar objetos comuns do nosso dia a dia em grande quantidade e torná-los algo comum em meio a paisagens exóticas

O fotógrafo Thomas Jackson, radicado em São Francisco (Califórnia), trabalha com objetos para imitar o comportamento coletivo de seres da natureza como pássaros, peixes e insetos. Esse trabalho é capturado em sua série “Comportamento Emergente” (em tradução livre).

Para suas fotografias, Jackson reúne objetos de cores vibrantes como guarda-chuvas, pratos, pirulitos, pom-poms, fitas etc e com a ajuda de filamentos invisíveis, consegue dispor cada um deles de maneira a dar a impressão de movimento em sequência. Após os retoques nas imagens, o que vemos são borrões coloridos que parecem flutuar por conta própria em meio a belas paisagens.

Depois de cada montagem, o artista se preocupa com o destino do material usado e procura garantir um destino correto a eles, seja por meio da reciclagem ou descarte consciente, sem prejudicar ou poluir o meio-ambiente simplesmente deixando os objetos para trás na natureza.

Recentemente, ele foi convidado para visitar a “Isle of Man”, uma ilha localizada no Reino Unido com belas paisagens e intenso contato com a natureza. Lá, ele construiu diversos trabalhos, inspirado pelos bosques, morros e pela costa da ilha. Essas fotografias serão expostas na galeria Jackson Fine Art, em Atlanta.

O que mais chama atenção em seu trabalho é o contraste dos objetos humanos em meio às paisagens da natureza. Há um estranhamento entre um objeto que não faz parte daquele lugar estar ali, ao mesmo tempo em que o fotógrafo pensa na melhor maneira de camuflá-lo ao ambiente, de forma que ele parece um ser misterioso da própria natureza, como pássaros ou flores exóticas.

THOMAS JACKSON E SUAS IMAGENS LÚDICAS

Em trabalhos anteriores, Jackson também já fez o inverso, fotografando objetos típicos da natureza, como galhos e folhas, em meio a ambientes totalmente urbanos, como as avenidas de uma grande cidade. E em todas as imagens, ele procura deixar um aspecto o mais natural possível.

“Basicamente, eu quero que os elementos estejam o mais “na câmera” possível, então ao invés de usar o Photoshop para criar as composições ou adicionar coisas ao redor, eu simplesmente uso o programa para retirar da imagem os elementos que não quero que estejam lá”, explica Jackson.

Assim, o fotógrafo consegue resultados mais naturais e que nos fascinam ao propor essa ideia de mescla entre criações humanas e criações da natureza. Segundo ele, suas imagens dessa série buscam compreender o medo e a beleza por trás do comportamento coletivo de alguns animais. Suas imagens com certeza brincam com a nossa imaginação.

Gostou? Para saber mais sobre o trabalho de Thomas Jackson, não deixe de visitar o seu site ou segui-lo pelo Instagram.

Via.

Mariana é jornalista e comunicadora. Adora descobrir novos lugares, explorar a cidade a pé e andar sem pressa. Se interessa por viagem, cultura e tudo o que é novidade. Escreve um blog sobre meio ambiente, sustentabilidade e consumo consciente. Também se dedica a cozinhar, como forma de prazer e arrisca novas receitas no tempo livre.

Mariana – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários