O artista Go Suga mistura formas geométricas e orgânicas para criar narrativas visuais que retratam paisagens e cenas do cotidiano inseridas em um universo próprio. Com grande referência da natureza, é possível encontrar o mar em muitas de suas obras, além de temas étnicos e culturais. Aos 40 anos de idade, ele vive e trabalha na região de Gold Coast, no leste da Austrália.

Suga nasceu em Hiroshima, no Japão, mas se mudou pra Austrália aos 10 anos, em 1990. Durante a infância ele já tinha o hábito de desenhar, e essa habilidade se estendeu à vida adulta, contribuindo pra sua escolha profissional.

Em meados de 2006, o nipo-australiano estudou Design Gráfico na TAFE (Technical and Further Education), instituição que oferece diversos cursos de educação profissional, predominantemente de nível técnico, na Austrália. Segundo o Widewalls, a dedicação aos estudos gráficos expandiu seu conhecimento das Artes.

Todavia, a escolha específica pelo Design Gráfico não foi planejada: “Eu queria começar a fazer alguma coisa, então meu pai me sugeriu fazer algum curso para aprender coisas novas. Fui até a TAFE para ver se tinha algo interessante e descobri o Design Gráfico. Eu e meus irmãos costumávamos desenhar quando éramos crianças, então foi uma escolha fácil para mim”, disse ele ao Burleigh Brewing.

Mas apesar da realização profissional como designer gráfico, Go Suga sentia falta de ter liberdade total para criar, pois como designer ele sempre deveria atender as vontades dos clientes, e essa foi a razão pela qual ele começou a ilustrar, pra “criar seu próprio espaço criativo”, segundo ele.

PROCESSO CRIATIVO E INFLUÊNCIAS DE GO SUGA

O processo criativo do artista começa nas composições. Depois dos esboços prontos ele decide as cores que vai aplicar e começa a pintar. Ele normalmente utiliza técnicas de pintura e desenho.

Ele conta que no início da carreira artística utilizava muito marcador sobre papel, mas que atualmente a técnica que mais gosta é tinta acrílica sobre painéis de madeira: “Eu nunca usei o pincel para pintar antes, mas estou me acostumando agora”, ele diz. Seus trabalhos também evoluíram de formas rigorosamente geométricas em preto e branco no início pra formas mais despretensiosas e uma explosão de cores.

O traço do artista também é inspirado pelo conceito japonês Wabi-sabi, que consiste na valorização do que é normalmente visto como imperfeito: “Eu amo a imperfeição. Em meados de 2016 comecei a querer mudar meu trabalho lentamente para ter essas linhas e elementos imperfeitos na minha arte… Ainda estou trabalhando nisso” disse ele.

A representação do mar é muito presente em sua obra, e não somente pelo fato dele viver em uma região praiana, mas também por conta de seu amor pelo surfe. O artista diz que a prática esportiva está diretamente ligada à sua arte. Ele conta que a sensação de estar no topo de uma onda é a mesma que ele tem ao pintar.

Em entrevista ao The DNA Life ele revelou que considera seu trabalho uma mistura da evolução humana e da mitologia antiga: “Como todos os humanos, estou interessado e influenciado por muitas coisas em torno da minha vida, como história, política, cultura, religião, caos, animais, natureza e muitas outras coisas. A partir desses elementos eu crio minhas próprias histórias”, conclui.

Se quiser acompanhar o trabalho de Go Suga, visite o perfil do artista no instagram.

Affonso atua como artista visual e ilustrador e tem dificuldade em ficar parado. Amante dos trabalhos manuais desde pequeno, ele se dedica ao bordado manual como expressão artística e acredita que com criatividade é possível transformar o espaço e as pessoas ao seu redor.

Affonso Malagutti – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários