Cartas de tarô tradicionais ganham vida neste baralho criativo, provocante e moderno. Conheça o projeto fotográfico Guetto Tarot 

Um projeto que mistura cartas de tarô, comunidade e percepção, e que transformou a maneira das pessoas enxergarem algo negativo em positivo. Ghetto Tarot é uma interpretação fotográfica do conhecido baralho Rider-Waite-Smith. O projeto começou quando Alice Smeets, com a ajuda de um grupo de artistas haitianos chamado Atis Rezistans, recriaram no gueto do Haiti, com material encontrado localmente, cenas inspiradas nos desenhos originais das cartas tradicionais que conhecemos, que foram feitas em 1909 pela artista Pamela Colman-Smith.

O projeto de Alice visa ir além das fronteiras culturais do preconceito e da ignorância para alcançar uma transformação necessária da percepção do gueto, enquanto mostra o poder de nossos próprios pensamentos. A favela haitiana é apresentada sob outra luz e as imagens destacam a criatividade e a força de seus cidadãos: eles são o sol, a morte, mágicos, clamam por justiça, dependendo da sua interpretação.

A VIDA NO GUETO

No Haiti, “gueto” significa a vida nas favelas. Viver sem segurança financeira, na comunidade, família, com solidariedade, força e criatividade. A palavra é bastante associada ao racismo, à pobreza e à exclusão. Assim, eles se liberaram dessa interpretação desfavorável e a transformam em algo bonito. Seu ato de apropriar-se de uma palavra triste alterando seu significado é um ato de inspiração.

A fotógrafa é certa quando diz que somente nós mesmos somos capazes de atribuir valor ou julgamento a algo tangível ou intangível, criando uma emoção positiva ou negativa sobre algo. “Nós emprestamos uma palavra que significa algo de acordo com a maneira como fomos criados. Cada um dos nossos sentimentos é uma escolha baseada em nosso pensamento. Com essa consciência vem o poder de mudar o significado de cada palavra, ação e emoção. É tudo sobre percepção” – diz Alice.

Isso significa que não somos escravos de nosso passado, mas somos livres se escolhermos ser. Podemos nos dar liberdade para criar nossa própria realidade. E se você quiser descobrir como mudar essa sua percepção e realidade, a fotógrafa diz: “Basta perguntar às cartas!”

SOBRE ALICE SMEETS

Alice Smeets é belga, fotógrafa, cineasta, artista e professora. Suas fotografias documentais do Haiti são bastante conhecidas e lhe renderam vários prêmios, incluindo o Prêmio Unicef ​​Foto do Ano de 2008. Por bastante tempo, ela queria mostrar de alguma maneira o baralho de tarô, mas tirar fotos comuns das cenas parecia simples demais. Seu objetivo era criar algo pessoal sem perder os diferentes espíritos das cartas. Então, a ideia combinou três de suas paixões: o mundo espiritual, a cultura e as pessoas do Haiti, bem como as reflexões filosóficas sobre as dualidades em nosso mundo; neste caso, ricos e pobres.

Desde 2007, ela é uma visitante regular do Haiti e mora no país há dois anos. As observações da sociedade haitiana trouxeram respostas a muitas de suas perguntas. Assim, tirar as fotos de tarô no gueto da capital do Haiti, Porto Príncipe, foi a escolha óbvia para criar as cartas muito pessoais: afastando-as das imagens clichês da pobreza, ilustrando os espíritos e os significados dos cartões com um toque de humor. No meio da favela, ela mostra as pessoas coloridas e quebra estereótipos.

Abaixo, os artistas do grupo ATIS REZISTANS, que cresceram no centro de Porto Príncipe, no meio de suas “sucatas”, como se precisassem de uma reciclagem de sobrevivência e um empreendimento artístico. Suas esculturas criadas com motores, aparelhos de TV, calotas e rodas, madeiras descartadas, transformaram os detritos em uma economia ousada.

Alice conhecia o grupo de artistas “Atis Rezistans” há muito tempo e desejava trabalhar em conjunto. Eles imediatamente toparam criar juntos o baralho do Tarô do Gueto. As cenas das fotos foram criadas por Alice. Os artistas permitiram que ela colocasse suas peças e artes. Além disso, eles criaram todos os cenários. Um dos artistas chamados Claudel Casseus foi assistente pessoal de Alice e fez um trabalho incrível.

ALGUMAS CARTAS – GUETTO TAROT

Inspirado pela criatividade e força dos cidadãos do gueto do Haiti, o Ghetto Tarot é um projeto que guiará você para a mudança da sua percepção, transformando a maneira negativa que você enxerga as pessoas da comunidade em algo positiva, enquanto descobre o poder de seus próprios pensamentos. 

Curtiu a ideia? Saiba mais sobre o Guetto Tarot no site oficial do projeto, Twitter de Alice e Facebook!

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários