Os pequenos corais e habitantes marinhos encontrados na natureza viram inspiração e tema para as obras da incrível artista japonesa Mariko Kusumoto 

Seu trabalho reflete vários fenômenos da natureza que estimulam a nossa mente e sentidos; e eles podem ser naturais ou artificiais. De Kumamoto, Japão, mas morando em Massachusetts, nos EUA, Mariko Kusumoto ‘reorganiza’ pequenos habitantes do fundo do mar em uma nova apresentação que pode ser descrita como surreal, divertida, delicada e até mesmo inesperada. Isso porque suas esculturas são feitas em tecidos e as formas perfeitas de suas peças combinam a translucidez do material que usa com um movimento ondulado como se estivessem mesmo no fundo do mar.

Mariko Kusumoto trabalha com tecido há oito anos. Por quase duas décadas antes, ela tinha como foco o metal. Foi depois de uma peça particularmente desafiadora que decidiu tentar criar com tecido, e desde então tem “explorado as infinitas e ilimitadas possibilidades” do material. Os resultados através de cores pastel admiram qualquer um — uma atmosfera lúdica e alegre permeia seu trabalho. “Sempre gosto de deixar algum espaço para a imaginação do espectador. Espero que o espectador experimente a descoberta, a surpresa e a admiração por meio do meu trabalho”, diz a artista.

As peças de tecido mais recentes se desenvolveram com muita experimentação e demonstram uma evolução das propriedades do metal para algo completamente oposto. É a maciez, textura e suavidade dos tecidos que entra em jogo. E claro, muita habilidade e talento da artista ao manusear. Mariko usa uma técnica autoral de ajuste de calor para moldar os materiais, o que dá ao tecido uma nova identidade através da reformulação em formas tridimensionais. Isso faz com que até mesmo as formas mais banais pareçam parte de um sonho.

COMO TUDO COMEÇOU

Foi após o ensino fundamental no Japão que Kusumoto decidiu ir para uma escola de arte. Ali já sabia o que queria fazer no futuro. Posteriormente entrou na faculdade de arte, no curso de pintura a óleo. No início do 1º ano, pôde escolher entre a pintura a óleo ou o curso de gravura, então decidiu mudar para a gravura com foco em metal. Como havia crescido em um templo budista que havia sido fundado há 400 anos, estava sempre cercada pela beleza da natureza e coisas antigas, o que influenciou muito esta decisão. Depois de trabalhar com metal por cerca de 18 anos que o tecido chegou em sua vida, e há cerca de oito anos, a artista explora as infinitas e ilimitadas possibilidades do material.

A textura suave e a translucidez do tecido transformam imagens familiares em uma ilusão onírica. As peças parecem flutuar sem peso como se estivessem debaixo d’água. Juntas, parecem celebrar a diversidade do ecossistema encontrado na natureza.

Para os trabalhos que desenvolve hoje, Mariko Kusumoto pesquisa muito. Se interessa por criaturas marinhas, plantas, mundo microscópico, diatomáceas, células, etc. “Estou sempre fascinada por formas sistematicamente formadas e movido pela maravilha da natureza. Eu adoro especialmente criaturas marinhas, elas são obras de arte por si só. Sempre que tenho a oportunidade, gosto de assistir documentários sobre o oceano. Fico constantemente surpresa com criaturas que nunca vi antes. O oceano está cheio de mistérios”, disse a artista em entrevista ao Modern Met. 

Mas a real intenção de suas peças de tecido não é apenas imitar a natureza ou o mundo natural, mas sim de alguma forma trazer a experiência sensorial como se encontrassemos a matéria na natureza. Além disso, Mariko é motivada pelo processo de experimentação, durante o qual descobertas acidentais levam a novas ideias. E que lindas ideias!

Acompanhe o trabalho de Mariko Kusumoto e saiba mais sobre seu trabalho em seu site, Instagram e Facebook.

Uso de imagens autorizado pela artista. 

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no FTCMAG.



Comentários