Segundo Zygmunt Bauman (1925-2017), sociólogo e filósofo polonês, os tempos são “líquidos” já que tudo muda rapidamente. Nada é feito para durar, para ser “sólido”. Disso resultariam, entre outras questões, a obsessão pelo corpo ideal, o culto às celebridades, o endividamento geral, a paranóia com segurança e até a instabilidade dos relacionamentos amorosos. Um mundo de incertezas.

E com o ritmo cada vez mais acelerado das cidades, a vida tem sido tão corrida que o tempo livre para conhecer futuros parceiros acaba sendo muito escasso. A solidão tem sido considerada um problema de saúde pública em alguns países, e pode acontecer mesmo com quem está rodeado de gente. Mas esse sentimento pode ser resolvido descobrindo novas conexões e experiências em outros lugares, e por quê não, usando a Internet?

Os sites de relacionamento são realmente tendência, mudaram a forma com a qual as pessoas se relacionam, tornando bem mais prática para alguns, a busca pelo parceiro perfeito. Na web, o algoritmo é quem faz quase todo o trabalho, fornecendo a possibilidade de conhecer novas pessoas num ambiente seguro e conforme seu ritmo e disponibilidade.

A quantidade de pessoas que tem encontros físicos a partir de sites de relacionamento é bem maior ao que você pensa. E com a pandemia, usuários também começaram a usar o app como ajuda para aliviar a solidão e o distanciamento social. Isso também fez com que as pessoas começassem a pensar mais sobre o que procuram em uma relação, além de ficarem mais abertas para relacionamentos a longo prazo.

NEM SEMPRE É PRECISO PAGAR APPS

Com o declínio da economia, o que antes era comum, como pagar para poder se cadastrar em sites de encontros, surgiu uma nova possibilidade. Hoje em dia é possível encontrar sites de namoro grátis, como o fdating.com, seguros e eficientes, sendo uma grande vantagem para quem está com o orçamento apertado.

DEFINA O QUE É QUE VOCÊ PROCURA

Para Zygmunt Bauman, ambos os tipos de relacionamento têm suas próprias vantagens e riscos. Em um mundo “líquido”, em rápida mutação, “compromissos para a vida” podem se revelar como promessas que não podem ser cumpridas — deixando de serem algo valioso para virarem dificuldades.

A provocação do sociólogo quando fala em “amor líquido” é alertar para a nossa forma de se relacionar nesses tempos de redes sociais. Para ele, com isso, valorizamos o padrão superficial das relações amorosas. Na era digital, é muito fácil começar a terminar relações: bastam cliques em botões. Isso nos torna indivíduos menos “humanos” e mais “apaixonados” ou impulsivos: ou seja, muito mais fáceis de quebrar.

Mas vemos muitas histórias que provam ao contrário. Nos portais de encontros online, nem todos os usuários estão à procura do mesmo tipo de relacionamento. Por isso, é bom identificar primeiro o seu interesse e fazer uso dos filtros proporcionados pela plataforma. A maioria dos sites de relacionamento permitem fazer uso da tecnologia para filtrar suas preferências, não só respeito às características da pessoa, como também em relação à localização geográfica, o que pode ser muito vantajoso.

Em entrevista para a Isto É, o sociólogo e filósofo conta que o Amor líquido tenta substituir a qualidade por quantidade — mas isso nunca pode ser feito, pois seus praticantes mais cedo ou mais tarde acabam percebendo. É bom lembrar que o amor não é um “objeto encontrado”, mas um produto de um longo e muitas vezes difícil esforço e de boa vontade.

SEJA VOCÊ MESMO

Se você resolver se aventurar nessa, criar um bom perfil nas redes é extremadamente importante. A receita é simples: seja sincero. Se preencher o cadastro com informações reais, o par ideal que combine com você será bem mais fácil de encontrar.

Não esqueça de colocar fotos suas mesmo e tentar preencher todo o perfil, assim como o perfil que você procura na outra pessoa. Quantas mais informações, mais fácil será encontrar uma pessoa que combine com seu jeito e com seus gostos.

NÃO ABRA MÃO DE PROCURAR UM PARCEIRO

Existe o sentimento de desamparo e abandono que provoca medo e tristeza. Encontrar o “par perfeito” num site de namoro grátis às vezes envolve tempo e motivação, e o desânimo pode surgir.

É preciso vencer a frustração – que nem chega perto da frustração do encontro por outra via –  e não desistir no meio do caminho. Há muitas pessoas cadastradas, o que faz você pensar que nenhuma delas tem interesses semelhantes ao seus?

Para Bauman, o fato de não valorizarmos o amor como um sentimento sólido, com dificuldades e pedras no caminho, nos faz trocar rapidamente “de galho” e, pronto: nos tornamos “seres de falta”, onde frustrações são uma constante e há sempre um buraco não preenchido.

“Como se pode lutar contra as adversidades do destino sozinho, sem a ajuda de amigos, sem um companheiro de vida, pronto para compartilhar os altos e baixo? Nenhuma das duas variedades de relação é infalível. Mas a vida também não é. Além disso, o valor de um relacionamento é medido não só pelo que ele oferece a você, mas também pelo que oferece aos seus parceiros. O melhor relacionamento imaginável é aquele em que ambos os parceiros praticam essa verdade”.

E como disse a psicóloga Isis Léon, da Oficina da Psicologia, se conseguirmos estar sempre atentos ao outro e a nós mesmos, abertos para o momento presente, sem medo de tentar, pode ser que encontremos um amor que não seja líquido e nem gasoso, mas finalmente sólido.

Para saber mais, procure sobre o livro Amor Líquido de Zygmunt Bauman.

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários