O novo tecido foi utilizado em objetos de decoração e carregam uma história de sustentabilidade e técnicas artesanais. 

O designer britânico Sebastian Cox, conhecido por suas criações de móveis, juntou-se com a pesquisadora Ninela Ivanova para trabalhar com um material inusitado: cogumelos. Nas mãos dessa dupla, eles viraram o principal ingrediente para a criação de luminárias e objetos sustentáveis.

Cox e Ivanova trabalham com o micélio dos cogumelos, que são formados por um conjunto de hifas. Essa é a parte vegetativa de um cogumelo. As pesquisas com esse material possibilitaram a descoberta de um novo tecido sustentável, que imita a textura do suede.

Já existem roupas e acessórios feitos com esse material, mas o designer queria criar peças mais do dia a dia e voltadas para a decoração. Assim, nasceu o projeto Mycelium + Timber (Micélio + Madeira), que engloba uma série de bancos e luminárias.

Os objetos foram apresentados em setembro de 2017 durante a exibição Design Frontiers, que foi parte da Semana de Design de Londres. Além do tecido sustentável, os móveis e objetos de decoração são feitos com peças de madeira de Salgueiro que são produção própria de Cox.

“Não é apenas sobre o fungo, é sobre o casamento dos dois materiais. Não é só uma questão de sustentabilidade para nós, mas é sobre aquilo que faz sentido. Esses dois materiais têm uma relação natural nas florestas, e nós estudamos como explorar essa relação”, disse Ivanova.

A madeira utilizada na confecção é cortada em tiras bem finas que depois vão ao forno dentro de pequenos moldes. Então, sobre esses moldes, os fungos são cultivados e vão crescendo, formando um emaranhado com a madeira.

Além da imitação do suede, a união entre os materiais dispensa o uso de qualquer cola. Foi justamente por isso inicialmente que o designer se juntou a Ninela Ivanova, na busca de uma alternativa natural para o uso de cola em madeira.

O MICÉLIO DOS COGUMELOS

Sebastian Cox acredita no potencial do trabalho manual e procura resgatar a abordagem tradicional ao aplicar em seus produtos as técnicas antigas e conhecimentos que são passados de geração em geração.

“O micélio nos dá a oportunidade de criar produtos que não só contribuem, mas elevam, o nosso ethos de sustentabilidade e ao mesmo tempo testam as nossas habilidades, enquanto designers, de pensar novos métodos de manufatura”, disse.

Em seu site, ele escreve: “Nossos ancestrais usavam uma paleta relativamente limitada de materiais biodegradáveis e renováveis, de forma criativa, para criar objetos simples, funcionais e ao mesmo tempo, belos”.

Saiba mais sobre o projeto aqui.

Via

Mariana é jornalista e comunicadora. Adora descobrir novos lugares, explorar a cidade a pé e andar sem pressa. Se interessa por viagem, cultura e tudo o que é novidade. Escreve um blog sobre meio ambiente, sustentabilidade e consumo consciente. Também se dedica a cozinhar, como forma de prazer e arrisca novas receitas no tempo livre.

Mariana – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:
Comentários