Dizem que não basta apenas uma vida para conhecer todos os pontos turísticos e instituições culturais que Paris oferece aos seus moradores e visitantes. Só de museus, por exemplo, são aproximadamente 130, o que faz com que a capital francesa seja realmente um ótimo destino para os apaixonados por arte e todas as suas formas de expressão.

Diante de tantos programas diferentes, é normal que quem viaja para lá quer saber quais locais são realmente imperdíveis. Saiba que existe muita coisa boa quando falamos em arte – além do roteiro tradicional – que sempre cita os fantásticos e conhecidos Louvre, Musée de l’Orangerie, Musée D’Orsay, Centro George Pompidou, Musée Rodin, Musée Picasso, Quai Branly, entre outros.

espaços culturais incríveis para se visitar em Paris de acordo com assuntos que você mais gosta: moda, arquitetura, música, arte alternativa, economia criativa, dança. Pensando nisso, selecionei cinco sugestões separadas por temas, que podem te ajudar na hora de tomar decisões entre tantas opções e roteiros. Confira, programe-se e boa viagem!

1 – Para quem gosta de Moda: Musée Bourdelle

Exposição: Balenciaga, L’oeuvre au Noir 

O Museu Bourdelle é a antiga casa ateliê de Antoine Bourdelle, carpinteiro, ilustrador e escultor que teve grande destaque na Belle Époque, e que ao mesmo tempo antecedeu a época de vanguarda das esculturas monumentais do século XX.

O local (maravilhoso, com uma luz natural incrível e cômodos aconchegantes) hoje oferece aos visitantes uma variedade única de exposições (além de esculturas, há uma coleção fotográfica, manuscritos, artes gráficas), juntamente com jardins deliciosos para um passeio relaxante no coração do bairro de Montparnasse.

Além de poder conferir toda a intimidade e vida de Bourdelle, onde o artista trabalhou, os salões cheios de moldes de gesso, o Museu Bourdelle traz a exposição exclusiva de Balenciaga até 16 de julho de 2017.

O espanhol Cristóbal Balenciaga é considerado o arquiteto da alta costura pelo seu amplo conhecimento sobre confecção e utilização de linhas puras e perfeitas. O estilista tornou-se um dos mais ativos designers de moda do século XX, sendo o responsável por peças de vestuário que se tornaram a base do guarda-roupa feminino contemporâneo, como o vestido baby doll, o vestido túnica e o vestido saco.

Na mostra, você confere seus croquis, formas e materiais de perto, a precisão de seus cortes, técnicas de costura e pode admirar incríveis modelos originais criados durante toda a sua trajetória.

A exposição dá destaque ao trabalho de Balenciaga com tecidos pretos, exibindo o porque dele ser considerado um verdadeiro alquimista da moda. Depois de passar pelo Museu Bourdelle, a mostra percorrerá outras instituições de Paris.

Vai lá: Musée Bourdelle – 18, Rue Antoine Bourdelle 75015 – Paris.

2 – Para quem gosta de Cinema: La Cinémathèque française

Muita gente não sabe, mas Paris possui uma instituição exclusiva que dedica-se à preservação, restauração e a divulgação do patrimônio cinematográfico. Não só da França, são mais de quarenta mil filmes e milhares de documentos e objetos relacionados ao cinema do mundo, uma das maiores bases de dados sobre a sétima arte.

 A La Cinémathèque française é um local super agradável e interessante para uma visita, além de possuir algumas peças interativas. Lá, você poderá conferir figurinos de artistas famosos, a história e a pré-história do cinema, tesouros vintageinstrumentos de ótica, câmeras, lanternas mágicas, trajes míticos, cartazes, documentos, objetos cults e até amostras de filmes

Além do acervo permanente, sempre acontecem as exposições temporárias, retrospectivas, exibições e eventos especiais para adultos e crianças. O local é fantástico também por estar instalado em um magnífico prédio criado pelo famoso arquiteto Frank O. Gehry que apelidou o edifício de “dançarina levantando a sainha”.

Vai lá: La Cinémathèque française – 51 Rue de Bercy 75012 – Paris.

3 – Para quem gosta de arte urbana e cultura alternativa: Espaço multidisciplinar Le 6b

Em poucos anos, este projeto conseguiu se transformar em um espaço multidisciplinar de grande expressão artística na beira do Seine-Saint-Denis, subúrbio de Paris. A associação, chamada Le 6B, desde 2010 é um coletivo independente de criação movido pelo desejo de acolher estúdios de artistas independentes, construir novas ideias para a cidade, dar vida a um centro cultural, exposições, oficinas e outros eventos totalmente abertos a comunidade. No verão, por exemplo, há parklets, mesas em areia de praia, teatros, shows, incríveis festas alternativas, além das outras atividades durante o ano todo.

O coletivo ocupa seis andares de um prédio industrial que tem parte dele todo decorado com street art, obras de arte e objetos improváveis como uma máquina lavar, assentos de avião e até uma Vespa dos anos 50 abandonada. Atualmente são aproximadamente 161 residentes que reúnem-se nos 7000 metros quadrados. Cada indivíduo desenvolve seus projetos beneficiando-se de uma dinâmica coletiva. O Le 6b rapidamente se tornou uma forte rede de pessoas jovens, ecléticas e conectadas a nível local e internacional.

Visitantes interessados são convidados a conhecerem o espaço, os ateliês, os profissionais que ali trabalham e a compartilharem suas ideias sobre vida local, cultural e política, além de experiências e expectativas sobre os mais diversos assuntos.

Você poderá conversar com os profissionais que ali se instalaram, ver como funciona todo o projeto, além de beber cerveja em uma atmosfera amigável e se inspirar com muita criatividade e arte. Para agendar sua visita, basta mandar email aos organizadores. 

Cada um tem sua arte e você vê realmente uma cooperação entre as pessoas aqui, não há barreiras.” – diz um músico e artista do Haiti que vê o 6B como parte de sua família.

Vai lá: Le6b – 6-10 Quai de Seine, 93200 – Saint-Denis, Paris.

4 – Para quem gosta de música: La Cité de la musique – Philharmonie de Paris

A Cité de la Musique (Cidade da Música), inaugurada em 1995, é um centro arquitetônico e cultural dedicado à música que fica situado no Parc de la Villette, 19º arrondissement em Paris. O local, que possui incrível projeto de Christian de Portzamparc, é composto por um anfiteatro, biblioteca, sala de concertos, museu da música (que contém uma importante coleção de instrumentos clássicos – 7 mil peças – principalmente do século XV- Ao século XX), salas de exposições e espaço para oficinas.

É lá que também fica a famosa Philharmonie de Paris, um complexo formado por uma linda e moderna sala sinfônica de 2400 lugares em que a construção foi adiada por cerca de vinte anos. O imponente e moderno prédio em alumínio foi criado pelo designer Jean Nouvel, que inaugurou em 2015 o grande centro que trazia ao local formas inovadoras.

Ali, cada detalhe do espaço é fantástico. Há corredores monocromáticos, uma fachada de alumínio brilhante em espiral, aço inoxidável que foi transformado em diversas geometrias, sala com painéis de madeira trabalhada utilizados para a acústica do som, além de ‘nuvens’ – pequenos pedaços em alumínio – em todo o teto, por exemplo.

Além disso, a sala sinfônica, onde acontecem shows e concertos, é espetacular. O arquiteto trabalhou em conjunto com vários especialistas em acústica para “desenvolver um sistema ousado de balcões em balanço e nuvens flutuantes” – tudo para não se precisar de amplificadores ou caixas de som. A distância mais distante entre o maestro e o espectador, por exemplo, é de apenas 32 metros.

A Philarmonie hoje proporciona liberdade para criação musical e repertório variado. Ali, você pode curtir música clássica, dança, jazz, música do mundo e música contemporânea. Nos finais de semana, um programa diverso de eventos e atividades com preços acessíveis é oferecido a adultos, crianças e famílias com menos renda. O centro cultural único é conhecido mundialmente, graças aos residentes, artistas convidados e ao projeto artístico inovador que promove a divulgação da música a todos os públicos.

O mais interessante foi saber que crianças com apenas meses já começam a ter aulas para aprender e tocar/barulhos dos instrumentos! Vale a pena conhecer também no sexto andar o Restaurante Le Balcon, que serve comida francesa contemporânea em um salão mobiliado com mesas e poltronas camufladas coloridas, além oferecer uma vista linda de Paris de longe.

Nas imagens, o ensaio da filarmônica de Paris na Grande Salle;

Vai lá: La Cité de la Musique – Philharmonie de Paris – 221, Avenue Jean Jaurès, 75019 – Paris

5 – Para quem gosta de dança: Théâtre National de Chaillot

O Teatro Nacional de Chaillot, construído em 1937, é um dos cinco teatros franceses nacionais e o primeiro a ter como foco a dança. Ao longo dos anos, se tornou um lugar simbólico bastante conhecido e prestigiado em Paris, não apenas pelo papel que ele desempenhou na história das artes, dos espetáculos ou ao ser transformado no popular Teatro Nacional, mas também na história da França, uma vez que foi nele que foi assinado em 1948, a Declaração universal dos direitos humanos.

Hoje, o local é famoso por suas apresentações de dança contemporânea, além de possuir um grande salão de frente para as fontes do Trocadero, da Torre Eiffel e do Champ de Mars, oferecendo dia ou noite uma das vistas mais famosas do mundo.

O teatro também abriga uma grande coleção de esculturas, pinturas, afrescos e pastéis criados pelos melhores artistas da época, além de escadarias de mármore que dão acesso às salas de espetáculos. A sala principal é magnífica e possui 1.300 lugares, que lotam todos os dias.

Tive a oportunidade de assistir o espetáculo Auguri do francês Olivier Dubois, eleito um dos 25 melhores dançarinos do mundo. No palco, o coreógrafo imaginou um ballet, onde todos os bailarinos se apresentavam através de corridas: os artistas corriam: juntos, separados, sempre que possível, apressando seus corpos, mas também nos passando a sensação de estarem sempre fugindo, fugindo, escapando de seu destino.

Para quem gosta de dança, esse é a escolha ideal!

Vai lá: Théâtre National de Chaillot – 1 Place du Trocadéro et du 11 Novembre, 75016 – Paris.

Se você está de viagem marcada para Paris em 2017, não deixe de conferir toda a programação da Saison Culturelle!


*Carol viajou a convite da Atout France e do Ministério da Cultura e da Comunicação da França para conferir o Lançamento da Temporada Cultural de Paris e Île-de-France e amou. Esse post é resultado da experiência #FeelFrenchCulture

O FTC tem total controle editorial e opinião própria sobre o conteúdo publicado.

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:
Comentários