Nathalie Lété nasceu na cidade de Paris, na França, onde ela também vive e trabalha atualmente. Ela aproveitou o período de fechamento da cidade por conta do coronavírus, que durou de março a maio de 2020, para pintar as paredes de sua casa com flores e outros motivos já eram recorrentes em seu trabalho como artista visual.

Aos 56 anos de idade, Nathalie desenvolve seu trabalho a partir de diversas técnicas e materiais. Seus projetos vão desde a ilustração e a pintura até a cerâmica e arte têxtil, por exemplo.

AS INSPIRAÇÕES DE NATHALIE LÉTÉ

O pai da artista é de origem chinesa, e sua mãe tem origem alemã. E a mistura de referências das duas culturas está presente em sua vida desde cedo. Contos tradicionais folclóricos construíram o universo imaginário que ela interpreta através das flores, animais e insetos. Gravuras e brinquedos antigos e memórias de viagens também inspiram suas criações.

Nathalie Lété estudou Moda e Litografia, que é uma técnica de impressão manual por meio de uma matriz. Aos 30 anos de idade ela conheceu seu marido na Escola de Belas Artes de Paris e juntos tiveram dois filhos. A partir de então ela começou a procurar marcas interessadas em criar trabalhos colaborativos, o que foi difícil segundo ela porque seu estilo era visto como incomum naquela época.

Atualmente o currículo de Lété conta com livros infantis, brinquedos, quadros, louças, esculturas em cerâmica, roupas e joias, por exemplo. Muitos de seus projetos são encomendados por grandes empresas e lançados em coleções limitadas em diversos formatos.

Seu processo de criação começa com o desenho à mão, que ela digitaliza posteriormente para criar uma espécie de banco de imagens digital. E a partir dessas imagens ela constrói novas composições que serão aplicadas nas mais diversas superfícies, inclusive nas paredes de sua casa.

A CASA DE CONTOS DE FADAS DE NATHALIE LÉTÉ

A artista revelou ao My Modern Met que comprou sua residência atual há três anos, e que sempre desejou transformá-la: “Meu sonho desde a adolescência era ter minha própria casa cheia de arte. O site chamou seu espaço de “uma casa de campo de um conto de fadas”.

Ela conta que inicialmente planejava decorar somente seu estúdio com as pinturas, mas que durante o bloqueio na França seu marido a incentivou a preencher todo o lugar com suas ilustrações botânicas.

Em entrevista ao site Amara a artista disse que o espaço é uma mistura do seu estilo e o de seu marido: “Gostamos de madeira, os móveis dos anos 60 e 70 juntamente com tons de preto e dourado, ela diz. Nathalie Lété também acrescentou que o quarto é um dos seus ambientes favoritos, por conta da luz natural que entra pela janela e pela varanda repleta de flores.

Além das paredes, Nathalie também levou as flores e pássaros para corrimãos, portas, janelas e pequenos móveis. Inclusive alguns desses móveis foram encontrados na rua: “A ideia é que você possa transformar um local simples e móveis encontrados na rua em algo especial e pessoal, ela diz.

Preenchendo cada canto com suas ilustrações, Nathalie criou uma nova atmosfera na sua casa: “O que eu mais gostei foi da ideia de criar o meu próprio mundo, uma espécie de ninho, cheio da minha arte, concluiu. E essa prática pode incentivar artistas e não-artistas a colocar a mão na massa e transformar o seu espaço durante esse período de recesso para criar mais conexão entre a casa e seus moradores.

Se quiser acompanhar o trabalho de Nathalie Lété, visite o perfil da artista no instagram.

Affonso atua como artista visual e ilustrador e tem dificuldade em ficar parado. Amante dos trabalhos manuais desde pequeno, ele se dedica ao bordado manual como expressão artística e acredita que com criatividade é possível transformar o espaço e as pessoas ao seu redor.

Affonso Malagutti – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários