Os renders e sua importância na representação gráfica de projetos arquitetônicos, também chamada de archviz (architecture vizualization) cresceu significativamente conforme os softwares se aprimoraram e a facilidade de fazer uma imagem realista é cada vez maior. Uma das principais funções do render é vender o projeto, mostrando como todas as ideias se materializam na arquitetura. Isso possibilita que mesmo uma pessoa que não estudou arquitetura e não tenha seu olhar tão treinado para imaginar as mudanças no ambiente, possa ver o resultado final proposto.

Residência Aiko, Dunas do Rosado – Brasil | Via: ArqBit

E para falarmos sobre renders, convidamos a Renata Leinemann e o Victor Ortiz, criadores do ArqBit! – página no Instagram @arq_bit com mais de 17 mil seguidores e 800 posts! Se tem alguém que sabe identificar os bons renders são eles. Confira a seguir:

Renders e sua importância no projeto

FTC: Para vocês, qual a importância da visualização de projetos por meio dos renders?

ArqBit: A visualização arquitetônica é um dos meios mais eficientes de transmitir a essência e emoção de um projeto. Não só das suas características físicas, mas de potencial de utilização e espaço. Uma renderização tem a capacidade de demonstrar sinais visuais para que o cliente e o público entendam a finalidade do espaço.

Residência Ybatinga, São Paulo – Brasil | Via: ArqBit

FTC: Como vocês descreveriam um render bem feito?

ArqBit: Um render bem feito é um render que vai além da demonstração do espaço físico e introduz a sensação do espaço. O artista que usa o tempo e as ferramentas de maneira inteligente, consegue produzir qualidade acima de quantidade. Entender luz e sombra, reflexos de materiais, profundidade, e como as texturas influenciam a imagem é o primeiro passo para atingir uma imagem bem sucedida. O próximo passo é contar uma história. Conhecer técnicas de fotografia e pintura são habilidades essenciais para realizar isso.

“Se uma pessoa consegue entender em poucos segundos o uso do espaço e a sensação de habitá-lo, pode-se dizer que é um bom render.” – ArqBit

Browns Race Development, Rochester – EUA | Via: ArqBit

FTC: Qual a importância da visualização gráfica de projetos nessa forma de linguagem?

ArqBit: Não há uma fórmula ideal para apresentar e representar um projeto. Diagramas, colagens e croquis são alguns exemplos muito eficientes de transmitir o conceito de um projeto. A diferença de uma renderização é a possibilidade de representar o real, com todos os seus detalhes e reflexos, como uma captura instantânea de um lugar em um espaço e tempo específico. Isso é muito eficiente no diálogo com pessoas que não são da área e não estão tão acostumadas com a linguagem técnica e diagramática. Renderizações possibilitam a criação de um cenário de imersão, antes do espaço existir.

Tecnologias emergentes como Realidade Virtual, combinados com renderização em tempo real, se tornam um portal para esse espaço imaginado, propiciando uma experiência com características sensoriais, e também para tomada de decisões técnicas de maneira informada.

College of Climate Studies, Ithaca, NY – EUA | Via: ArqBit

Meditation Pod, NY – EUA | Via: ArqBit

Centro de Educação Ambiental, Amparo – Brasil | Via: ArqBit

ArqBit e o futuro

FTC: De acordo com o site do ArqBit, a proposta é compartilhar ideias inovadoras. Vocês têm planos para divulgar outros tipos de trabalhos?

ArqBit: Como nosso próprio nome sugere, reconhecemos que a arquitetura é plural e tem inúmeras partes [bit] que podem e devem ser exploradas. Queremos compartilhar ideias inovadoras, cada qual com a sua função e objetivo, tangenciando todas essas diferentes esferas da arquitetura. Com certeza vamos abraçar outros tipos de trabalho, outras maneiras de pensar, de apresentar, de refletir, de produzir e temos planos para fazer isso também de uma maneira criativa e surpreendente. A transformação do Arqbit de Instagram para blog já foi um primeiro movimento nesta direção, então podemos esperar novas conquistas nos próximos capítulos da nossa história!

Unfolding Memories, YAC Tree House Competition – França | Via: ArqBit

FTC: Alguma colocação final que gostariam de fazer?

ArqBit: Nós somos de natureza criativa e eclética. Nossos interesses diversos e necessidade de experimentar nos fizeram questionar a forma que aprendemos arquitetura. Queríamos trazer novos horizontes para um debate mais amplo, extrapolar as conversas que tínhamos entre nós dois, ouvir opiniões diferentes, nos inspirar com as ideias de outras pessoas e motivar estudantes e profissionais a exercitarem as próprias fantasias e especulações.

“No fundo o Arqbit é esse espaço de troca e de motivação!”

Imagem da capa: Centro de Educação Ambiental, Amparo, Brasil.

Se você ainda não segue a página, confira @arq_bit no instagram e no site Arqbit.com ! E acompanhe-nos para mais matérias legais como essa! @ftcmag #ftc #renders

Tereza Teixera é estudante de Arquitetura e Urbanismo com muito prazer e está sempre procurando aprender mais sobre um pouco de tudo, principalmente sobre cenografia, criatividade, inovação, filosofia, negócios e novas formas de viver. Regida sob novos desafios e convivência constante com a arte.

Tereza Teixeira – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários