Pela primeira vez nos EUA uma exposição reúne quatro décadas de trabalho do icônico artista

Instalação em “Andy Warhol: From A to B and Back Again.”

Reproduções em silkscreen de latas de sopa Campbell, garrafas de Coca-Cola ou o rosto de Marilyn Monroe só podem nos remeter à uma pessoa. Andy Warhol, o artista que ficou conhecido como expoente da pop-art norte-americana, nunca é esquecido. Sua arte, reproduzida no mundo inteiro, ganha este mês uma retrospectiva em Nova Iorque.

Com mais de 350 obras, o Whitney Museum realiza a sua maior exposição já dedicada a um único artista. Andy Warhol – From A to B and Back Again, é também a primeira grande retrospectiva do artista realizada nos Estados Unidos desde 1989. O nome foi inspirado no título do livro de memórias “A Filosofia de Andy Warhol – de A a B e de Volta a A”.

A mostra, que reúne diversas obras do artistas, incluindo sua “arte mecânica”, feita a partir da técnica de silkscreen, fica até março de 2019 em NY e depois segue para o Museu de Arte Moderna de São Francisco e para o Instituto de Arte de Chicago.

Andy Warhol, Before and After (1962). Whitney Museum of American Art, New York; comprado com fundos de Charles Simon, 71.226. 

Além da sua pop-art, estão reunidos alguns trabalhos menos conhecidos de Warhol, seja como artista ou mesmo do começo de sua carreira, a partir de 1950, como ilustrador comercial. Vale destacar trabalhos como Superman e Die in Jet, pinturas feitas totalmente à mão e que imitam com perfeição o processo de impressão mecânica.

Ao todo, a exposição conta com três andares que reúnem diversos trabalhos realizados ao longo dos 40 anos de carreira de Andy Warhol. O térreo abriga um lounge dedicado aos “Portraits”, onde estão expostos cerca de 80 retratos que o artista fez sob encomenda de artistas e personalidades famosas, incluindo o jogador de futebol brasileiro Pelé.

Andy Warhol, Green Coca-Cola Bottles, 1962. 

Não tanto conhecida quanto seus quadros, a produção cinematográfica de Warhol, realizada entre os anos de 1963 e 1968, também tem espaço nessa exposição. Com os filmes, o artista também explorou diversos gêneros e estilos, indo do cinema underground até o documentário, passando por Hollywood, avant-garde e o minimalismo objetivo.

Como não poderia faltar, há também uma série de itens selecionados para venda na loja online do museu. São louças, velas, camisetas, toy art estampados com trabalhos memoráveis de Warhol, além de um catálogo feito especialmente para a exposição que celebra seu nome, sob produção de Donna De Salvo, curadora do Whitney Museum.

Andy Warhol, 129 Die in Jet, 1962, acrílico e grafite sobre linho, (254,5 x 182,5 cm). Museu Ludwig, Colônia. 

Andy Warhol, In the Bottom of My Garden, 1956. 1956. 22 impressões em offset, algumas coloridas à mão, capa dura, (21,9 × 28,6 × 1,3 cm). Coleção de Anthony O’Offay. 

Superman, 1961

Mais informações sobre Andy Warhol – From A to B and Back Again e ingressos pelo site.

Imagens: © The Andy Warhol Foundation for the Visual Arts, Inc. /Licenciado pela Artists Rights Society (ARS), Nova York. 

Mariana é jornalista e comunicadora. Adora descobrir novos lugares, explorar a cidade a pé e andar sem pressa. Se interessa por viagem, cultura e tudo o que é novidade. Escreve um blog sobre meio ambiente, sustentabilidade e consumo consciente. Também se dedica a cozinhar, como forma de prazer e arrisca novas receitas no tempo livre.

Mariana – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários