Com palácios, parques, prédios antigos, museus incríveis e muita história, Londres é um desses destinos cheios de coisa para ver e fazer. Saindo um pouco do roteiro mais tradicional da cidade, selecionamos quatro lugares modernos, descolados e gratuitos que você não pode deixar de conhecer – nem que seja uma passada rápida. Confira:

UM PASSEIO PELA LONDRES DESCOLADA

 

COVENT GARDEN

Quem gosta de espaços históricos restaurados que ganharam novo propósito não pode deixar de visitar o Covent Garden.

No bairro de mesmo nome, no West End, o espaço funcionava como um mercado ao ar livre desde o século XVII (a primeira menção escrita do “novo mercado no Covent Garden” data de 1654). O crescimento foi tal que, em 1828, começaram planos para construir um prédio que organizasse os feirantes da praça de forma prática. O arquiteto escolhido foi Charles Fowler e a nova estrutura foi inaugurada em 1830.

Desde então, a popularidade (e o charme) do local só aumentou, trazendo cada vez mais visitantes. Anos depois, em 1972, o Covent Market apareceu no filme Frenzy, penúltimo de Alfred Hitchcock. Hoje, o local é um mercado moderno e mais sofisticado, cheio de luz natural e de elementos industriais. Ali, há lojas como Apple, Tom Ford, Paul Smith e  Benjamin Pollock’s Toy Shop, e restaurantes cinco estrelas como Frenchie, Henrietta, The Oystermen e Balthazar.

O passeio também vale pelo balanço de madeira e pelos carrinhos cheios de flores que envolvem o lugar, um ponto popular para apresentações de rua e de instalações de arte. Quando eu visitei, havia um acrobata no exterior, um comediante no interior e um grupo de violinistas no piso inferior. Antes de visitar, confira a agenda de eventos.

Vai lá: Covent Garden

Onde: The Market Bldg, 41, London WC2E 8RF

Horário: Restaurantes e cafés, de segunda a sábado das 8 às 23h45 e, aos domingos, das 12 às 22h30. Shopping, de segunda a sábado das 10 às 20h e, aos domingos, das 11 às 18h.

SOUTHBANK CENTRE

À beira do Rio Tâmisa, o Southbank Centre é o maior centro de artes do Reino Unido. Fundado em 1951, o lugar ocupa um terreno de mais de oito hectares e é composto por cinco espaços: Royal Festival Hall, com música clássica; Hayward Gallery, uma galeria de arte contemporânea; Queen Elizabeth Hall, com música clássica, apresentações e performances; Purcell Room, com literatura, performances e música clássica, jazz e contemporânea; e National Poetry Library, com a coleção mais abrangente de poesia britânica de 1912.

Além de arte, teatro, dança, música, literatura e debates, o Southbank Centre conta com mercados, lojas, restaurantes, street food e bares. O centro, que também é o único espaço permanente para festivais do Reino Unido, organiza mais de cinco mil eventos por ano – ao todo, são 6,25 milhões de visitantes por ano.

O local é perfeito para um date. Quando fui, no verão, aproveitei o fim da tarde no topo de um dos prédios, onde fica um bar ao ar livre no estilo do High Line, em Nova York. O espaço é uma graça, com uma mistura de jardim com mobiliário de madeira e luzinhas.

Vai lá: Southbank Centre

Onde: Lambeth, próximo da Waterloo Station

Horário: Royal Festival Hall, diariamente das 10 às 23h. Hayward Gallery, diariamente (exceto às terças) das 11 às 19h. Queen Elizabeth Hall & Purcell Room, diariamente das 10 às 23h. Southbank Centre Food Market, às sextas das 12 às 20h, aos sábados das 11 às 20h, aos domingos das 12 às 18h e, às segundas (somente em feriados) das 12 às 18h. National Poetry Library, de terça a sábado das 11 às 20h. Archive Studio, de terça e quarta das 10:30 às 13h e das 14 às 16h30.

SKY GARDEN

Um dos lugares mais originais e impressionantes da cidade é o Sky Garden. Seguindo o nome de forma bem literal, o jardim ocupa do 35o ao 37o andares de um prédio comercial e oferece uma vista de 360 graus de Londres. Quem assina os jardins é o escritório Gillespies, que optou por espécies mediterrâneas e sul-africanas resistentes à seca e que florescem durante todo o ano.

Os espaços, com teto de vidro e pé-direito alto, incluem sofás, bancos e lounges, além de cinco bares e restaurantes: Fenchurch Restaurant, para jantares refinados; Fenchurch Terrace, lounge com vinhos e snacks; Darwin Brasserie, com cozinha britânica; City Garden Bar, mais saudável e com drinques; e Sky Pod Bar, com foco nos coquetéis.

O jardim público mais alto de Londres tem entrada gratuita, mas é preciso reservar e imprimir os ingressos com antecedência. Walk-ins também estão programados, mas entre 10 e 11h30 e entre 14 e 16h30 de segunda a sexta-feira. O Sky Pod Bar também funciona com walk-ins em horários definidos.

Vai lá: Sky Garden

Onde: 20 Fenchurch St, London EC3M 8AF

Horário: de segunda a sexta, das 10 às 18h e, aos fins de semana, das 11 às 21h. Francis Golding Terrace, aos sábados das 10 às 18h e, aos domingos, das 11 às 18h. Restaurantes e bares, de segunda e terça das 7 às 00h, de quarta a sexta das 7 às 1h, aos sábados das 8 às 1h e, aos domingos, das 8 às 00h.

TATE MODERN

A união de um prédio industrial e espaçoso com arte moderna, o Tate Modern é um dos quatro museus Tate, que somam, juntos, quase 70 mil obras de arte, desde a coleção britânica, de 1500 à atualidade, até arte internacional moderna e contemporânea. A primeira Tate Gallery (hoje conhecida como Tate Britain) surgiu no final do século XIX graças à coleção e ao patrocínio de Henry Tate, um industrial de refinaria de açúcar.

Além das exposições, exibições e eventos individuais, é possível encontrar obras de arte de artistas como Pablo Picasso, Salvador Dalí, Cildo Meirelles, Henri Matisse, Francis Bacon, Piet Mondrian e Andy Warhol.

No topo do prédio, um café e mirante oferece uma vista privilegiada do Rio Tâmisa e da cidade.

Uma boa dica é usar o aplicativo do museu, que inclui tour guiado em inglês, francês, italiano, alemão e espanhol. O app também calcula a sua localização dentro do Tate e te ajuda a encontrar suas obras de arte favoritas.

Vai lá: Tate Modern

Onde: Bankside, London SE1 9TG

Horário: de domingo a quinta, das 10 às 18h, e de sexta a sábado, das 10 às 22h.

QUER MAIS DICAS DE UMA LONDRES DESCOLADA?

Aqui já falamos sobre 10 dicas de lugares para aproveitar o que Londres tem de melhor – e sem desembolsar muito dinheirosugestões divertidas e inusitadas para você visitar na cidade e dois lugares icônicos: House of Dreams, uma galeria inusitada criada por um artista e God’s Own Jukyard, o paraíso de Neon em Londres.

Imagens: Divulgação e Mariana Bruno.

Mariana Bruno é jornalista e escritora especializada em decoração, arquitetura e design. Já trabalhou em diversas plataformas e hoje atua na área de PR. Acredita no poder das experiências, do lifestyle, do entretenimento e das viagens. Instagram: @missbruno

Mariana Bruno – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários