WTF Colgate? Na década de 1980, a empresa produziu uma linha de congelados, encorajando as pessoas a comerem algo antes de escovarem os dentes com a pasta dental Colgate. #fail 

É em Helsingborg, na Suécia, que fica o Museum of Failure (Museu do Fracasso), uma galeria que traz uma série de produtos e projetos que, ao invés de sucesso no mercado, servem como um ótimo exemplo de que absurdos e falhas acontecem, inclusive quando são lançados por grandes empresas que prometem inovações interessantes.

A coleção traz uma curadoria de mais de 60 itens que vai desde uma lasanha da Colgate, passando por uma máscara de beleza que promete tirar rugas com choques elétricos, até uma Coca-Cola com sabor de café. A ideia é fornecer uma visão única sobre o negócio arriscado da inovação.

O organizador do Museum of Failure, Samuel West, psicólogo, em entrevista para a Revista PEGN, disse: “O museu foi a forma que encontrei para estimular donos de pequenos e grandes negócios a lançar um novo olhar sobre o fracasso. O problema é que as empresas só gostam de falar dos sucessos. Também quero inspirar pessoas que não são empreendedoras a ver os erros como uma oportunidade de aprendizado, e não como uma tragédia”. 

Coke BlaK. O refrigerante com sabor de café foi lançado em 2006 e imediatamente descontinuado em 2008 após queixas sobre a fraca combinação de sabor e cafeína excessiva.

O Museu of Failure apresenta a exposição em 4 línguas: inglês, sueco, chinês ou islandês. O passeio explora alguns destaques, juntamente com as histórias interessantes por trás dos itens. Confira alguns dos fracassos:

O TwitterPeek foi lançado como o ‘1º dispositivo único do Twitter no mundo’ em 2009. Porém, em 2012, a empresa encerrou o serviço porque o seu hardware e todos as suas funcionalidades pararam de funcionar. 

Talvez o fracasso mais perturbador na coleção de Samuel West é a máscara facial Rejuvenique, que entregava choques elétricos ao rosto do portador em troca de não se ter mais rugas. 

Canetas Bic feitas especialmente para mulheres. Samuel diz: “Como se as mulheres não pudessem usar ‘as canetas de homens'”. Foram consideradas sexistas e descontinuadas pela marca.  

Google Glass? Na visão de Samuel, o produto colidiu com as questões de privacidade, tornando-se um grande fracasso. 

Ao falar sobre extensões de marca, Samuel cita a Harley-Davidson, que lançou sua própria linha de perfumes e colônias em 1996. Eles eram chamados de “Hot Road” e continham notas amadeiradas com toques de tabaco. Não vingou.

Coca-Cola II, ou Coca-Cola nova, o refrigerante alternativo que substituiu a Coca Clássica em prateleiras no início de 1984 e foi totalmente rejeitado pelo público na época. #fail 

Para saber mais, acesse o site do Museu of Failure. Imagens: Sofie Lindberg

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários