O Pritzker é o maior prêmio de arquitetura do mundo. E na edição deste ano o casal francês Anne Lacaton e Jean-Philippe Vassal foi o vencedor. Mas por quê esse prêmio é tão importante? Pois bem, ele existe como o Oscar, que tem uma relevância em trazer novas referências e destacar pessoas pelo seu belo trabalho. Além disso, quando criado em 1979 foi pautado no prêmio Nobel com a intenção de encorajar arquitetos. No entanto, se isso te desperta felicidade, vamos com calma.

PRITZKER: O COMEÇO

Apesar de ter um grande reconhecimento na comunidade arquitetônica no geral, o prêmio também é alvo de muitas críticas negativas. Isso porque, durante seus primeiros 26 anos apenas homens foram homenageados, desconsiderando às mulheres da profissão. A Arquiteta Zaha Hadid foi a primeira mulher premiada, em 2004. Infelizmente Zaha faleceu de ataque cardíaco em 2016 com 65 anos.

Zaha Hadid. Foto via: Post Magazine

Não somente, Robert Venturi ganhou o prêmio sozinho em 1991, ainda que sua esposa Denise Scott Brown era co-autora dos projetos que o fizeram levar o prêmio e ela apenas reivindicou seu mérito 22 anos depois, sendo assim uma luta eterna pelo reconhecimento. Então o casal Lacaton & Vassal ter ganhado evidência em 2021 foi uma evolução do prêmio Pritzker, ainda que pequena e sutil em relação aos anos anteriores. Mas junto com os últimos vencedores, nos permite sonhar em uma premiação mais inclusiva.

Fotos de Robert Venturi e Denise Scott Brown. Foto PB de arquivo e foto colorida tirada por: Frank Hanswijk via ArchDaily

PRITZKER MAIS INCLUSIVO

Nos últimos anos da premiação, mais profissionais japoneses tiveram espaço no Pritzker como o escritório SANAA, Toyo Ito, Shigeru Ban e Arata Isozaki. Além disso, o chileno Alejandro Aravena foi uma revelação em 2016, assim como o 1º indiano premiado, Balkrishna Doshi, vencedor em 2018 (39ª edição). Ou também dos grupos premiados, temos o Espanhol RCR (2 arquitetos e 1 arquiteta) e a dupla irlandesa de mulheres Yvonne Farrell e Shelley McNamara no ano passado.

Portanto, o casal francês à frente do escritório Lacaton & Vassal com mais de 30 anos de projetos tem grande importância na representatividade feminina. O podcast Arquitetura de Boteco traz o episódio #11 dedicado à trajetória do Pritzker – e você pode conhecer mais a fundo dessa história. Em relação ao casal vencedor, a essência de suas obras é baseada na simplicidade construtiva e foco nas habitações sociais, espaços culturais, educacionais e públicos. Vamos conhecer mais sobre eles a seguir?

Lacaton e Vassal ouvindo a premiação do Pritzker 2021, antes de ganharem o prêmio. | Via: UKB, foto: TillBude

O CASAL VENCEDOR DO PRITZKER

A dupla francesa é famosa por seus projetos de habitação sustentável e pelo Palais de Tokyo, uma galeria de arte contemporânea em Paris. Lacaton e Vassal têm projetos frequentemente leves, com transparência e valorizam o construído, sendo contras à demolição (que já disseram em entrevistas ser um ato de desperdício e de violência). Além disso, usam materiais de fácil acesso na Europa e principalmente nos edifícios de habitação social buscam promover mais conforto e bem estar para os habitantes.

A cultura Africana teve grande influência na produção deles, pela pobreza extrema do país. Na década de 1980, Jean-Philippe se mudou para o Níger, África Ocidental. Ele foi praticar planejamento urbano enquanto Anne fazia o mestrado em planejamento urbano em Bordeaux, na França. Anne frequentemente visitava o parceiro e foi em Níger que encontraram profundos aprendizados da simplicidade arquitetônica.

Neste artigo do ArchDaily, há uma citação de Vassal, que diz:

O Níger é um dos países mais pobres do mundo, e o povo é tão incrível, tão generoso, fazendo quase tudo sem nada, encontrando recursos o tempo todo, mas com otimismo, cheio de poesia e inventividade. Foi realmente uma segunda escola de arquitetura.”

Anne Vassal também conta que a falta de arquitetura da forma como eles aprenderam na faculdade foi um choque e isso os fez mais livres para conhecer em detalhes como as pessoas viviam naquele contexto de pobreza e ainda assim, com poesia.

Confira abaixo alguns projetos do casal, novo vencedor do Pritzker 2021:

pritzker 2021 casal vencedor lacaton vassalAnne Lacaton e Jean-Philippe Vassal | Foto por: Joel Saget, via: EL PAÍS

reforma-bordeaux

Reforma de +500 unidades em Bordeaux, na França. Fachada antiga x Fachada após intervenção. Criaram longas varandas unificando os andares com estrutura auxiliar e melhoraram o bem estar dos habitantes. Projeto em parceria com Frédéric Druot + Christophe Hutin Architecture.

philippe rualt
Vista interna da nova varanda no conjunto de apartamentos em Bordeaux | Foto por: Philippe Rualt. Via ArchDaily

palaisu-du-tokyo-paris

Ampliação do Museu Palais du Tokyo, em Paris. O casal optou por não rebocar paredes e pilares para investir mais o dinheiro na ampliação. Essa proposta mais industrial acabou virando tendência para outros museus e galerias que optaram pelo visual mais rústico. | Foto por: 11h45, via ArchDaily.

FRAC Nord-Pas de Calais, Dunquerque | Foto: Philippe Rualt, via: LacatonVassal.com

Collège Protestant Français, Beirute – Líbano. Parceria com Naji Assi Architects. | Render via LacatonVassal.com

 

Projeto Art Mill Museum, Doha (Qatar) | Render via: LacatonVassal.com

 

Projeto: Maison des Sciences de l’homme et plataforme technologique, Saint-Denis (França) | Render via: LacatonVassal.com

Conte para nós o que você mais gostou desse post!

Tereza Ribeiro é estudante de Arquitetura e Urbanismo com muito prazer e está sempre procurando aprender mais sobre um pouco de tudo, principalmente sobre cenografia, criatividade, inovação, filosofia, negócios e novas formas de viver. Regida sob novos desafios e convivência constante com a arte.

Tereza Ribeiro – já escreveu posts no FTCMAG.



Comentários